Hidrelétrica de Marabá: direito de dizer não

A hidrelétrica integra o portfolio de hidrelétricas na bacia do Araguaia-Tocantins do governo federal.  Ela deve afetar territórios já consolidados na região, como projetos de assentamento da reforma agrária, áreas de preservação ambiental, sítios arqueológicos e aldeias indígenas.
Ainda assim existem segmentos que tratam tal matriz de energia como limpa. Um mito, contra argumentam pesquisadores de diferentes campos do conhecimento.
No dia 18, a partir das 18h, será lançado no campus de Marabá da Universidade Federal do Pará (UFPA), o Boletim de nº 04, do projeto de Nova Cartografia Social da Amazônia, da Associação das Universidades da Amazônia  (UNAMAZ).(O Furoconvite para e-mail
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s